terça-feira, 23 de outubro de 2012

Preconceitos Camuflados em Humor

Atualmente vivemos em uma sociedade onde o politicamente correto, onde o senso de justiça e a luta por direitos iguais e pelo fim de preconceitos é considerado chato.

O legal agora é ser politicamente incorreto, rir de piadas que reforçam a cultura de estupro, assistir a novelas que incentivam a violência contra a mulher e comprar roupas naquela loja que reforça estereótipos e incentiva a gordofobia.


E fica a dúvida, até onde vai o limite entre a piada e o preconceito?

Os "politicamente incorretos" sempre que se fala em limites para piadas, gritam "Censura! Liberdade de Expressão". Acredito que a liberdade de expressão é uma conquista enorme sim da sociedade. Mas sua liberdade e o limite da piada vai até onde o respeito ao próximo começa. Temos sim o direito a livre expressão e de criar a piada que quisermos, mas em nenhum momento este direito lhe permite ofender, constranger ou violentar (verbalmente e emocionalmente) qualquer pessoa.

Os humoristas têm sim o permissão de fazer qualquer piada que surgir em sua imaginação, desde que a mesma não seja ofensiva ou constrangedora para alguma raça, gênero, orientação sexual, tipo físico, etc. Afinal fazer piadas ofensivas é fácil, difícil é criar piadas inteligentes. Parece que é ai que se encontra a dificuldade.  


As pessoas costumam falar "mas é só uma inocente piada", "não leve uma piada tão a sério" e outras frases que vemos espalhadas por aí, defendendo a "liberdade de expressão" ou melhor dizendo, defendendo a liberdade de ofender, de expressar seus preconceitos, camuflados em humor, em piadas. 

O problema é que quando você ri de uma piada homofóbica e depois vê uma reportagem falando de mais um homossexual que foi morto, ou espancado, ou agredido verbalmente, você acha normal, afinal gay "escolhe" ser diferente né, tem que arcar com as consequências.



O problema é que quando dá um retweet em uma piada sexista e depois você vê uma noticia falando sobre uma acidente de transito com uma mulher envolvida, você acha super normal e legal dizer "mulher no volante perigo constante".

O problema é que quando você compartilha uma piada gordofóbica e depois senta-se uma pessoa acima do peso ao seu lado em um restaurante, você acha normal olhar com nojo, olhar com desprezo para aquela pessoal, afinal se elx está gordx desse jeito é por que quer, por falta de esforço.

O problema é que quando você dá um curtir em uma piada de estupro e você lê no jornal sobre uma garota que foi estuprada em uma festa depois de ter consumido bebida alcoólica, você acha que é mentira dela, ou que o homem não consegue controlar seus instintos, que ela estava provocando, afinal a culpa é sempre da vítima nesses casos né.


Seja legal com pessoas gordas: um dia elas podem salvar suas vidas
A cada piada que você ri, compartilha, curte, dá um retweet, você normaliza os preconceitos. Torna eles parte da realidade, comuns, algo a que não se dá a devida importância. Afinal se a homofobia, o sexismo, o machismo e o estupro são coisas que a sociedade acha engraçada, como a população vai levar a sério estas causas?


Para você que ri das piadas do Rafinha Bastos, Danilo Gentili, CQC, Testosterona e Cia Ltda, você realmente considera engraçado as milhares de mortes de seres humanos, todos os anos, todos os dias, todo segundos, por causa do preconceito e da discriminação? Esse mesmo preconceito que cria as piadas das quais você tanto ri? 

Eu fico imaginando a dor de quem sofre ou já sofreu com qualquer tipo de preconceito, ao ver ou ouvir essas piadas. Deve ser como levar um tapa na cara, como abrir uma ferida mal curada. Com certeza muito doloroso.

Será que nos tornamos tão egocêntricos e narcisistas que realmente chegamos ao ponto de rir do sofrimento dos outros?




*Peço desculpas a todas as figuras de piadas preconceituosas neste post. Mas quis deixar bem ilustrado o tipo de piada que é feito e aplaudido pela nossa sociedade.

2 comentários:

  1. Concordo totalmente com vc, Aline.
    Acho deprimente esse povo que se comporta idiotamente achando graça de tudo, principalmente do que oprime o outro. E ainda compartilham a falta de noção no facebook. Já expliquei (até onde a paciência permitiu) pra um colega o porque daquilo ser ofensivo, ele alegou que era 'falta de bom humor' da minha parte... então eu o exclui da minha lista, que gente ignorante por opção não me faz falta!

    Gostei bastante do seu blog, continue escrevendo que eu sempre passo aqui pra ler!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ninguém pode vetar piadas,afinal são fruto de criatividade e sem criatividade voltaremos a ditadura!

    ResponderExcluir